Arquivo do mês: janeiro 2014

1º Encontro Nacional das Mulheres Quilombolas de 20 a 24/03, em Brasília

Por CONAQ Com 19 anos de existência, a Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Quilombolas – CONAQ, na luta pela demarcação dos Territórios Quilombolas, soberania do povo quilombola, enfrentamento ao racismo institucional, ambiental, social, cultural na aplicação das Leis e … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

CAIXA assina contratos do PNHR com 215 famílias quilombolas no Amapá

A Caixa Econômica Federal assinou contratos para construção de 215 unidades habitacionais na zona rural do Amapá, com cinco comunidades quilombolas do Amapá, denominadas Igarapé do Lago, Ressaca da Pedreira, Rosa, Curralinho e Conceição do Macacoari. A assinatura ocorreu na … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Agência instalada em barco vai atender mulheres ribeirinhas vítimas de violência

Brasília – A Agência-Barco Ilha de Marajó, da Caixa, vai atender também mulheres ribeirinhas vítimas de violência. Hoje (16), em Belém, a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Eleonora Menicucci, e o presidente da … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Mulatólogo não é profissão, é machismo

  Por Charô Nunes É com tristeza que fiquei sabendo sobre a profissão de “mulatólogo”. O termos foi criado por Julio César, homem negro que se dedica a agenciar e classificar mulheres pretas. Sua especialidade é basicamente a de alimentar o … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Redução de violência contra a mulher ainda é o principal desafio para 2014

  (foto: simnoticias) Para movimentos sociais de defesa dos direitos da mulher o principal desafio para 2014 é a redução do índice de violência contra a mulher. Mesmo assim afirmam  que 2013 foi um ano de importantes conquistas políticas. No … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Mulheres anunciam que 2014 será um ano para consolidar direitos

Participação na política; aborto; combate à lesbofobia; e autonomia sobre o corpo marcaram a agenda de lutas. Após Maria da Penha, quase 700 mil procedimentos judiciais contra agressores foram registrados no país Elas enfrentam muitos problemas no cotidiano em sociedade … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário